Dentro de cada caixinha existe uma ideia: a de que as histórias tornam o mundo mais sensível e a vida mais bonita. Assusta-nos muito a perspectiva da morte do livro, e lutamos contra ela. Criamos o clube para construir uma experiência literária saborosa e reunir todos aqueles que adoram o cheirinho de páginas impressas, vão à livraria comprar um e voltam com dez, choram por personagens e acreditam em histórias inventadas. Juntos, e através dos livros, navegamos por universos literários, discutimos obras, conhecemos novos autores e brincamos com essa fonte de prazer e transformação chamada imaginação.

Acreditamos na leitura como exercício de alteridade, na força das delicadezas e no carinho como relação social. No prazer como objetivo estratégico e no sorriso como indicador de resultado. Num clube de livros em um país de poucos leitores e na boa literatura em uma época de cento e quarenta caracteres.